O Mundo em Fatias


Depois da ponte tem um mundo fatiado. Antes da ponte, também.

Na paisagem mais famosa do mundo, diferentes raças e credos andam em paralelo. Linhas paralelas não se encontram, separam universos.

Essa é a capital do mundo vertical. Mundo pontudo e fálico, de silhuetas prontas para invadir. Prédios em forma de mísseis, ângulos de 90 graus, mentes rigidamente atadas a convenções.

Mentes calcificadas se enganam com o tempo.

O tempo tem ponto de fuga. Anda cada vez mais rápido, em progressão geométrica.

O tempo em rede permite que se mude o presente no presente. A horizontalidade do tempo é só uma idéia fixa.

Este mundo existiu primeiro na mente.

Mudar uma só mente é mais fácil do que mudar o mundo inteiro.

É mais realista. É mais possível, e mais honesto.

Ainda dá tempo.

Fotos: @LuMicheletti

Brooklin Bridge, NY agosto / 09.

Anúncios

8 Comentários on “O Mundo em Fatias”

  1. Sydney disse:

    Noss, dah pra confabular e fazer mtas parábolas com isso!
    Esse céu..seria como “Aquilo”… o nada e o tudo, o vazio e o completo, Aquele que observa a mente em seu playground, onde constrói castelos e os destrói, td aquilo que e vem e vai…

    bjok!

  2. pedro_ishi disse:

    “O tempo em rede permite que se mude o presente no presente. A horizontalidade do tempo é só uma idéia fixa.” Ta cabeçudinha hein filha?

    só com linhas em “xadrez” voce conseguiu falar das construções, das pessoas e do tempo. taquepariu, esse olhar não é qquer um, qquer dia, qquer blog.

    o baixo 75 é americano?

  3. Lyna disse:

    Oi Luisaaaa. =D

    Adoro teu blog, posta mais!

    Beijos!

  4. Samuel disse:

    O interessante da fotografia é como ela revela o fato de que esse lance de 3D é tudo balela, não existe, é ilusão de ótica. Pode ver, não tem esse negócio de profundidade. Tudo que está localizado mais longe, ao fundo, é transmitido normalmente na imagem, mesmo ela sendo plana, a profundidade é percebida mesmo assim. Tudo que esses cientistas falam por aí é pura bobagem.

  5. Emerson Mexx disse:

    Muito bom o texto. É bem legal falar sobre TOC, pois realmente me parece que todo mundo tem um pouquinho. Tenho algo que envolve lateralidade: quando estou andando ou conversando com alguém, essa pessoa tem que estar de meu lado direito. É estranho, mas eu acho até divertido…

  6. Roberta disse:

    Tem essa de não pular na linha, tem a de correr até chegar na padaria antes que passe algum carro na rua da casa da minha avó (claro que essa eu perdi aos nove anos, quando minha avó mudou de rua). mas ainda tem a de arrumar o tapete do meu quarto SEMPRE, sem ondinhas, sem estar dobrado, tem que estar reto e liso, a de só fazer xixi com a porta do box fechada e às vezes quando a mão encosta em algo sem querer, tem que encostar de novo pra tirar a “coisa” que pegou antes. toc? não, prefiro acreditar que só tenho algumas manias…você escreve muito bem luisa! e quando eu era pequena também achava meu nome muito sério pra uma criança… ainda acho, mas evito pensar no assunto.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s